BlogcomCebola


PEDRAS DO CAMINHO

Livro foca sentido do perdão no Caminho de Santiago

"Pedras do Caminho II”: tarde de autógrafos será em 16 de abril, em Santos

O segundo livro da trilogia “Pedras do Caminho”, de minha autoria, será apresentado no próximo dia 16 de abril, das 16 às 20 horas, na Casa do Trem Bélico, no Centro Histórico de Santos/SP. Inaugurada com “Pedras do Caminho, Meu Encontro no Caminho de Santiago de Compostela”, lançado em março do ano passado, a trilogia aborda o fenômeno das peregrinações pelos Caminhos que levam a Santiago de Compostela, capital da Galícia, na Espanha – e tem como base os posts publicados neste blog desde 2009.

Enquanto o primeiro livro envolveu a peregrinação feita em 2009 pelo Caminho Francês (800 quilômetros em 29 dias), "Pedras do Caminho II, Sentido do Perdão no Caminho de Santiago de Compostela” é baseado na peregrinação feita em 2010 pelo Caminho Português (240 quilômetros em 10 dias) – Ano Santo Compostelado, ou Ano Jacobeo, quando o Dia de Santiago, 25 de julho, cai num domingo, e ao peregrino é concedida indulgência plenária, como a doutrina católica denomina o perdão dos pecados!

Embora mais curto, o Caminho Português não é fácil, ou mais fácil que o Francês. As diferenças são naturais e se explicam, não só pela magia do Ano Santo (o próximo será em 2021), mas pela constatação de que cada Caminho é um Caminho, seja pela rota escolhida, seja por quem se dispõe a enfrentá-lo e enfrentar-se; pois as variáveis são muitas e imponderáveis.

O evento, que inclui exposição de fotos da peregrinação, é aberto ao público e acontecerá num prédio emblemático – o mais antigo edifício público da cidade de Santos –, localizado na Rua Tiro Onze, 11. Para quem conhece o Centro Histórico o acesso não é difícil: vindo da Praça Mauá, onde se localiza a Prefeitura, basta atravessar a Praça da Alfândega, caminhando em direção ao Outeiro de Santa Catarina (onde nasceu Santos!) e dobrar na primeira rua à esquerda, sentido cais.

Para quem vier de carro, é possível seguir o mesmo roteiro ou evitar o centrão da cidade vindo pela Rua Brás Cubas. Além do estacionamento na própria Rua Tiro Onze, que será destinado aos participantes do evento, está sendo pleiteada a possibilidade de se utilizar o amplo estacionamento do Outeiro de Santa Catarina, cuja responsabilidade é da Fundação Arquivo e Memória de Santos. Como a Prefeitura e a entidade colaboram com o evento, creio que não haverá problemas.

Outra opção interessante é chegar de bondinho. No dia do evento, quarta-feira, a linha turística tem saídas da Praça Mauá de hora em hora. Como o evento acontece a partir das 16 horas, é possível programar o uso do bondinho nos horários das 15 horas (chegue mais cedo e curta o belo acervo do Museu da Casa do Trem...), 16 e 17 horas – o último horário!

Neste segundo livro da trilogia, além de revelar aspectos da famosa rota de peregrinação cristã, proponho uma reflexão sobre o ato de perdoar e ser perdoado. Para isso, cito a inspiração recebida na missa do peregrino, ao final do Caminho em 2010, durante a homilia feita pelo arcebispo de Santiago, Dom Julián Barrio Barrio. Disse o religioso que muitas pessoas têm a convicção que não praticam pecado, e portando não precisariam pedir ou receber perdão, pois se consideram bom filho, pai, marido, amigo, que não molestam e nada de ruim fazem a quem quer que seja. Logo em seguida, questionou: “Mas, será que estão fazendo tudo de bom que poderiam e que são capazes?”.

Inicialmente relatada neste blog, a peregrinação (realizada de 6 a 15 de junho) é detalhada com textos inéditos, referências ao perdão em diferentes religiões e muitas fotos, revelando a mística do Caminho de Santiago como um desafio possível a qualquer pessoa, seja por aventura, turismo, ou devoção ao Apóstolo. Afinal, na cripta da Catedral de Santiago de Compostela estão guardadas as relíquias do Apóstolo de Cristo.

Como jornalista, procuro utilizar a técnica de reportagem, que desenvolvo por meio de observações, opiniões, e entrevistas com personagens do Caminho: peregrinos, hospitaleiros, religiosos, moradores das aldeias e pueblos. Ou seja, meu foco narrativo é de personagem e testemunha.

O lançamento do livro é uma realização da Titan Comunicação, com apoio de empresas amigas – Pet Memorial, Apply Auditores Associados, Clínica Veterinária Filetti, Ferreira & Cheganças Materiais para Construções, Le Ayres Fotografia Profissional, Click Mania Foto Estúdio Design, Demar Gráfica –, da Prefeitura de Santos e da Fundação Arquivo e Memória de Santos.

Também conto com o apoio fundamental do amigo Roberto Luiz Barroso, presidente da Casa da Esperança de Santos, a bela obra social que o Rotary Club de Santos desenvolve há 57 anos. Nesse sentido, da mesma forma que na ocasião do primeiro livro da trilogia, metade da renda obtida com a venda do livro no lançamento será doada à preciosa entidade, que atende gratuitamente 270 crianças/adolescentes portadores de paralisia cerebral.

Sobre Santiago de Compostela, nunca é demais frisar... Conta a tradição que, após pregar na Espanha, Santiago regressou à Palestina e foi decapitado por ordem do Rei Herodes (41-44 d.C). Seu corpo foi colocado numa barca de pedra e, milagrosamente, viajou da Palestina à Galícia, chegando à costa em Iria Flavia, atual Padrón – no Caminho Português. O corpo foi enterrado e mais tarde encontrado e declarado autêntico pelo bispo Teodomiro. No local, por determinação de Afonso II, Rei de Astúrias, foi construída uma igreja, dando origem à cidade de Santiago de Compostela, e ao fenômeno das peregrinações.

Ficha Técnica

. Título: “Pedras do Caminho II, Sentido do Perdão no Caminho de Santiago de Compostela”.

. Autor: Luiz Carlos Ferraz.

. Editora: Titan Comunicação Ltda.

. ISBN: 978-85-910810-1-1

. Formato: 21 cm x 15 cm.

. Número de Páginas: 136.

. Preço: R$ 30,00.

. O livro estará à venda em livrarias e poderá ser solicitado pelo e-mail titan.com@uol.com.br, telefones (13) 3284.2373 / 99147.6668.

Eu no Caminho Português: reflexões sobre o perdão


Peregrinos no Caminho Português, já no trecho da Galícia...


Confessionário na Catedral de Santiago de Compostela


Fim da missa do peregrino: o perdão pelo que não faço...

O autor...

Para quem ainda não me conhece, tenho 58 anos e sou natural de Santos, no Litoral do Estado de São Paulo, onde exerço as atividades de jornalista e advogado. Sou diretor-editor da Titan Comunicação, responsável pela edição do Perspectiva. Já atuei em vários jornais do Estado de São Paulo, entre os quais, Jornal Cidade de Santos e Diário do Grande ABC. Além dos Caminhos Francês e Português, em 2012 peregrinei o Caminho Aragonês, de Somport a Puente la Reina – cerca de 180 quilômetros, em 8 dias. Em junho do ano passado, peregrinei o Caminho Sanabrês, a partir de Zamora até Santiago de Compostela – um trajeto de 420 quilômetros, que percorri em 16 dias. Em junho próximo, em função das comemorações do 8º Centenário da peregrinação de Francisco, de Assis a Santiago de Compostela, farei o percurso de mais de 2.200 quilômetros, passando por cidades e pueblos que registram “San Francisco de Asís estuvo aqui”.

Buen Camino!



Escrito por Luiz Ferraz Cebola às 16h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Homem, de 56 a 65 anos, Portuguese

Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
Votação
  Dê uma nota para meu blog



O que é isto?
Anúncios Shopping UOL